Como a Análise de Dados pode Otimizar os Conteúdos dos Seus Clientes

Uma análise de dados pode ser feita tanto para identificar um problema, quanto para encontrar respostas e soluções.

É graças ao Big Data que o marketing mais direcionado e tomadas de decisões mais acertadas têm sido possíveis hoje.

Essa mentalidade no trato com os dados se torna um diferencial para marcas que conseguem estabelecer regras de processamento.

Através disso, elas obtêm informações valiosas sobre o comportamento e interesses dos usuários.

E são estas informações que serão usadas nas tomadas de decisão estratégicas da marca para otimizar os seus conteúdos.

Como a Análise de Dados pode Otimizar os Conteúdos dos Seus Clientes

A experiência do usuário, o uso das palavras-chave, a constância de acessos, a qualidade do seu conteúdo, entre outros são fatores, fazem com que a distribuição do conteúdo seja otimizada.

Em seus dados, há sinais claros sobre o comportamento do público de cada cliente, os quais poderão ser utilizados para otimizar os seus conteúdos.

Métricas e Análise de Dados

As métricas aqui que se apresentam de várias formas: quantidade de posts, de comentários, de acessos, de cliques, etc.

Já as dimensões são ‘atributos’ dos seus usuários: o navegador que ele usa, a cidade de onde acessou, a idade, gênero, etc.

Em um outro artigo nosso, você pode conhecer as principais métricas do marketing de conteúdo.

Para o que nos interessa aqui hoje, segue resumidamente abaixo as métricas para as quais precisamos nos atentar.

Em análise de dados objetiva, os indicadores que precisamos avaliar são:

  • Impressões;
  • Cliques;
  • CTR;
  • Leads;
  • Posição na busca;
  • Tempo na página;
  • Taxa de rejeição.

Já em análise de dados subjetiva, os principais indicadores são:

  • Intenção de busca;
  • Foco;
  • Qualidade;
  • Concorrência direta e indireta.

Nesta fase subjetiva, ao invés de olharmos para os números, vamos olhar para o próprio conteúdo, identificando os pontos em que ele pode estar sendo falho.

Em suma, estas são as principais perguntas a se fazer:

  • O conteúdo responde o que o usuário quer?
  • E o texto, tem conexão com o produto ou serviço que a marca quer vender?
  • O conteúdo está bem escrito para os motores de busca?
  • Este texto está em primeiro lugar ou aparece atrás dos concorrentes?
  • E em que os concorrentes são melhores?

Ferramentas

Nas ferramentas mais populares de distribuição de conteúdo (Google, Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn), é possível acessar, nativamente, os relatórios analíticos, bastando acessar as suas configurações.

Existem, porém algumas outras boas ferramentas que ajudam na elaboração de insights de conteúdo.

Estas ferramentas costumam ser fundamentais na rotina de quem já produz conteúdo, mas não custa lembrar:

O próprio Google tem duas ferramentas gratuitas excelentes para criar uma estratégia de melhoria da visibilidade da marca através de palavras-chave e Tags.

São elas o Planejador de Palavras-chave e o Google Trends.

Existem, ainda, outras ferramentas bem completas para este fim no mercado, como é o caso do Ubersuggest.

Existem também algumas ferramentas que auxiliam no gerenciamento de suas redes sociais.

As que têm em suas funcionalidades o monitoramento dessas redes para oferecer relatórios podem ajudar bastante na hora de extrair certas categorias de dados mais difíceis de quantificar dentro das próprias plataformas — como, por exemplo, os dados dos Stories.

Agora que temos os canais de coleta de dados sendo monitorados e analisados, é importante estabelecer uma rotina de produção que envolva testes.

Testes

As estatísticas que apontam melhores tipos e formatos de conteúdos falam no geral. Já os seus dados, falam no específico.

É por isso existem estatísticas no digital que nos dizem que textos com emojis podem criar mais impacto do que um texto apenas com palavras.

No entanto, não podemos afirmar que em uma conta específica e com seu contexto específico essa lógica vá funcionar, exceto testando das duas formas.

É aquela nossa velha questão de trabalhar com dados e não com achismos.

É desta forma que se torna possível otimizar cada vez mais o conteúdo da marca com o que realmente funciona para o público DELA.

Monitoramento

Quando a nossa produção de conteúdo envolve a cultura de testes, é fundamental criar uma rotina de monitoramento.

E para que ela funcione, precisamos entender quais são os objetivos da marca para curto, médio e longo prazo.

É isso que torna possível definir os dados que vão guiar os relatórios.

Se a marca tiver como objetivo atingir mais pessoas e aumentar o reconhecimento da marca, as métricas de alcance e impressões serão analisadas as prioritárias.

Mas se o objetivo da marca for fidelizar clientes, o monitoramento provavelmente estará na relação entre alcance e impressões e na porcentagem de visitantes frequentes do site.

Hoje existem ferramentas que possibilitam que você crie relatórios de dados com precisão, mesmo que você não tenha conhecimento avançado em gestão de dados.

Clique aqui e dê uma olhada no DashGoo.

Concorrência

É essencial entender os pontos em comum e os pontos que geram a diferenciação entre uma marca e seus concorrentes.

Provavelmente, o usuário vá considerar isto no processo de decisão de compra.

Portanto, devemos ter clareza dos possíveis comparativos que ele fará.

Tendências de Mercado

Os padrões de comportamento de um público podem e devem ser aproveitado para a estratégia de comunicação de uma marca.

É por isso que padrões como seus assuntos preferidos, horários de maior atividade e etc, são tão importantes.

Nesse sentido, você pode iniciar essa análise pelas suas redes sociais, considerando os posts de maior interação.

Portanto, primeiro, revise e republique as postagens mais antigas e mais lidas, e entenda se e até que ponto ela ainda impacta aquele público.

E depois, procure entender os assuntos de maior interesse, procure assuntos relacionados a ele, e desenvolva-os em seus conteúdos 😉

Conclusão

O processo de criação de conteúdo precisa de MOVIMENTO para se manter estratégico.

É por isso analisar dados é fundamental, bem como montar estratégias que tenham prazo de validade, abrindo assim oportunidades para a renovação estratégica através de testes.

Análise de dados é tendência global.

Por isso, é importantíssimo que estejamos preparados para esse cenário, adotando soluções que permitam a compreensão dos dados e a sua incorporação na nossa rotina de produção e otimização de conteúdos desde já.

Leia também as nossas 5 Dicas para Integrar Dados e Análises Relevantes na sua Estratégia de Marketing.

Compartilhe:
Postado em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *